domingo, 28 de dezembro de 2014

Como configurar DVR para acesso remoto via internet ou rede.

Neste post vamos mostrar como configurar sua DVR na rede de internet para ser acessada de onde você quiser, através da internet.utilizando Pcs,tablets,celulares e outros.
na maioria das DVRs os menus de configuração são bem padronizados,facilitando a configuração.
para concluirmos a configuração é necessário o usuário ter uma noção de programação de rede interna e programação de acesso remoto,
Para configurarmos a DVR  no menu DDNS utilizaremos o sistema DynDns.org para a localização de IP  da DVR na rede de internet.
crie uma conta DynDns é através dela que configurará o campo DNS do moldem e da DVR.

para obter o endereço de acesso de sua DVR na internet, deve-se criar sua conta Dyn  para escolher o seu endereço de acesso, ex: minhadvr.dyndns.org .
com este endereço você localiza sua DVR na internet.

vamos a configuração.
 primeiro devemos configurar a DVR na rede interna de sua casa ou empresa.
vejamos o esquema da DVR na rede

continue lendo




Veja qual é o IP do gateway da rede utilizando o comando IPCONFIG no CMD.


configure o IP da DVR conforme gateway da rede.




obs: configure o IP manualmente, pois este ip será o da DVR pra sempre na rede interna.
Após configurar a DVR na rede interna,faça um teste de acesso, abra o navegador Google chrome e digite na pesquisa http://192.168.1.12 o navegador deverá acessar a DVR, feito isso agora vamos abrir as portas TCP e UDP no modem DSL ou cabo.

para acessar o modem digite no navegador o endereço do gateway http://192.168.1.1 na caixa de dialogo digite o login e senha do modem.

após o acesso ao moldem click na guia Advanced Setup  e depois na guia NAT  e na guia Virtual Servers .
agora crie as portas.
crie uma porta TCP com o IP da DVR, e
crie uma porta UDP com o IP da DVR.
na maioria das DVRs está configurado a porta 80 para TCP e a porta 8000 para UDP.
verifique na sua DVR as portas configuradas.
algumas DVRs necessitam de portas para celulares.
após abrir as portas TCP e UDP poderá também configurar o DMZ digitando o IP da DVR no DMZ.
pois bem com as portas já abertas agora vamos configurar o DNS do modem.
lembrando que vamos utilizar o seu login e senha da conta DYNDNS e o endereço criado da DVR minhadvr.dyndns.org .
vá na guia DNS do modem.
escolha a opção dyndns depois configure o seu usuario e senha da conta DynDns e configure o seu endereço da DVR minhadvr.dyndns.org .
veja imagem,

feito isto salve as configurações e de reboot no modem.
agora devemos configurar o DDNS da DVR utilizando o DynDns.
da mesma forma do modem, primeiro escolhemos a opção DynDns e depois configuramos o usuário e senha da conta DynDns e o endereço da DVR, Domain Name minhadvr.dyndns.org .


para a configuração do DNS é preciso ter conta no DynDns,No-Ip e outros.

Lembrando que são 3 etapas de configuração.
1º etapa é a configuração da DVR na rede interna.
configure o IP de sua DVR na rede, para a mesma ficar visível na rede.
2º etapa é a abertura de portas no modem,cabo ou dsl.
abra as portas TCP e UDP no modem para acesso a DVR.
3º etapa é a configuração do DNS do modem e DVR.
configure o DNS do modem e da sua DVR conforme sua conta e seu nome de domínio criado no DynDns, ou outros sites de direcionamento.

acessando a DVR,para acessar a DVR na rede interna faça o seguinte,
abra o navegador internet e digite  http://o ip da DVR   este é para o acesso interno na rede.
para o acesso externo(via internet) abra o navegador internet digite  http://minhadvr.dyndns.org


para acessar via celular ou android e outros é necessário baixar o app correspondente a DVR a ser acessada,...
Continue lendo

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Tutorial completo de como instalar interfone residencial,vários modelos.

 neste tutorial estaremos esclarecendo da melhor forma possível como instalar seu interfone residencial,HDL,AGL,Thevear,Lider,Amelco e outros

 escolha do equipamento a ser utilizado.

 Para a instalação é necessário o kit interfone, e qual equipamento ou qual marca devo utilizar? pois bem, é preciso analisar certos fatores para concluirmos a escolha do equipamento a ser utilizado,
Quais fatores são estes?...
 o ambiente de sua rua é barulhento ou silencioso?
o interfone abrirá alguma porta?
o interfone ficará exposto ao tempo ou não?
a marca escolhida tem assistência técnica em sua cidade?
o equipamento a ser escolhido deverá atender a estas necessidades.

 preparação da parte estrutural para o equipamento escolhido.

 Agora devemos analisar a parte estrutural a ser instalado o equipamento, a posição e a altura correta para o painel externo, lembrando que esta posição não vale para todas as instruturas de imoveis.
devemos analisar outros fatores,
a tubulação para a fiação do interfone pois a fiação não deve ficar exposta ao tempo,salvo no caso de fios compatíveis para exposição ao tempo.
pode-se também utilizar canaletas,conduítes e similares.
veja um exemplo básico de tubulação para interfones residenciais com ou sem câmeras.



 escolhendo a fiação a ser utilizada.

para escolhermos a fiação apropriada para o equipamento devemos observar alguns itens.
qual a distancia entre o painel externo e o monofone?
todo o fio será tubulado?sim ou não.
qual a marca e modelo do interfone?
de onde vai partir o acionador da fechadura?
o interfone tem câmera ou não?
o interfone vai ter extensão ou não?

utilize fios multipolares com cores para facilitar a identificação do fio.
vamos responder as perguntas;
distancia entre o painel externo e o monofone?
veja tabela.

o fio será tubulado?
se o fio não for tubulado utilize fios próprios para área externa.
qual a marca e modelo do interfone?
a quantidade de fiação muda entre as marcas e modelos de interfones.deve-se verificar no manual do modelo de interfone escolhido a quantidade de fios do painel até o monofone,e onde é ligado a energia do aparelho.
de onde vai partir o acionador da fechadura?
vai depender do modo de instalação escolhido(inviolável ou violável) ou pela marca e modelo de interfone utilizado.
o interfone tem câmera ou não?
se tiver deve-se utilizar cabos de rede ou cabos coaxiais para o sinal de vídeo.
o interfone vai ter extensão ou não? 
verifique no manual do modelo do interfone a ligação da extensão. pois em vários modelos a extensão e ligada em paralelo ao monofone, e em outros modelos não, verifique isto antes de correr a fiação na tubulação.

 fazendo a instalação e ligação do interfone.

 primeiro vamos escolher a posição e altura do painel externo,observando a parte estrutural a ser instalado o painel pois cada lugar é uma arquitetura diferente.
então vamos obedecer uns princípios.
veja imagem de posição e altura padrão de fixação do painel externo.
Agora vamos escolher a posição e altura da parte interna,(base ou monofone).
veja imagem de posição e altura padrão de fixação da base ou monofone.
Para passar a fiação adequada ao equipamento primeiro deve-se saber qual a marca e modelo do interfone a ser instalado,verifique no manual do equipamento quantos pares de fio são utilizados para o correto funcionamento do interfone em sua ligação.
enfim, a fiação só é escolhida conforme equipamento adquirido.
devido a infinidades de interfones no mercado, e fabricantes que não mantem um padrão pré definido para instalação de varias marcas e modelos,não sabemos qual a quantidade exata de fiação a ser utilizada. pois, isto depende da escolha do modelo de interfone...

com posição e altura definidos e a fiação já passada agora vamos à fixação do equipamento,os kits de interfone tem duas opções de fixação embutir ou sobrepor,na maioria dos modelos os interfones são de sobrepor fixados por buchas e parafusos ou outros.


ligação do interfone.
sabemos que há muitas marcas e modelos de interfones e cada um com um tipo de ligação diferente, enfim não há um padrão, por isso devemos observar o manual do fabricante e seguir a ligação conforme o manual. 
mas há um padrão básico nos projetos eletrônicos,(sua função).pois utilizam só um par de fio da base ao monofone.
veja imagem esquema de ligação de interfone modelo F8 e F8s HDL,Líder,AGL,amelco e outros.
em outras marcas e modelos os bornes de ligação são nomeados diferente por isto é importante verificar o manual do fabricante para que a ligação fique correta sem duvidas.
veja outros esquemas de fabricantes diferentes.

interfone AGL
interfone thevear
esquema HDL

porque ligação de 2 ou 4 fios, na ligação de 2 fios o painel externo é o que aciona a fechadura.
Sendo o painel externo a acionar a fechadura o mesmo fica vulnerável a terceiros violarem o painel externo e acionarem a fechadura, abrindo o portão social pelo painel externo e deixando o seu imóvel vulnerável.
Há opções para seu interfone não ficar vulnerável.
utilizando a instalação de 4 fios ou ligação independente p/ fechadura.
Ou instalando grades de proteção com parafusos passantes(parafusando por dentro).
veja imagem.
dicas para a instalação;
use calcados isolantes,
mantenha a calma na hora das ligações,
não manuseie fios ligados a rede elétrica,
confira as fiações antes de ligar o aparelho à rede elétrica,
enfim, ter paciência ,seguir o manual,não é um bicho de 7 cabeças,


problemas possíveis.
interfone só comunica para um lado?
solução:
verifique a rede elétrica se esta correspondente ao aparelho,
verifique a fiação,estando OK
pode então ter problemas no interfone leve-o a assistência técnica.

interfone não para de tocar?
solução:
alguns modelos só funcionam com a tampa do painel parafusada,
verifique o botão de chamada se esta agarrado,
verifique a fiação.

interfone não fala mas abre a fechadura. 
solução:
verifique a fiação nos bornes se estão invertidos
monofone pode estar com problemas,
pode também ter problemas no painel.

interfone não abre a fechadura ou de vez em quando abre. 
solução:
verifique a fiação da fechadura,
verifique a saída de 12V do interfone,
verifique a bobina da fechadura,
verifique a mecânica da fechadura(ela deve ficar sensível quando energizada),

interfone com barulho ou interferência no áudio. 
solução:
verifique se a fiação passa junto à rede elétrica,
pode ter problemas com a fiação,

interfone não funciona não liga.
solução:
verifique a rede elétrica se esta correspondente ao aparelho,
verifique a fiação.
pode ter problemas no aparelho.

Continue lendo

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

acionando duas fechaduras simultaneamente


siga o esquema abaixo e verá como acionar fechaduras simultaneamente, existem outras formas de acionamento, essa é uma das mais simples.



Nos proscimos posts lhe mostrarei como fazer o mesmo acionamento sem deixar a fonte ficar ligada direto
Continue lendo

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

acionando duas fechaduras simultaneamente passando a fase pelo rele

ECONOMIZE ENERGIA
Ao ligar qualquer acionamento atravéz  de uma fonte(trafo), voçe pode economizar energia evitando deixar a fonte ligada direto na rede eletrica assim , consumindo energia sem usar o equipamento. Observe o esquema a baixo.
Continue lendo

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Esquema de ligação fechadura magnética com temporizador.

Olá bem vindos,neste post vamos mostrar como ligar uma fechadura magnética utilizando temporizador,
materiais utilizados; bateria selada 12V, fonte carregadora 12V. temporizador 12V, fechadura magnética,
para o acionamento poderá estar utilizando uma vasta opção,ex; teclados de senha, receptores,interfones,botões e interruptores,etc...
o temporizador terá a função de temporizar o destravamento da fechadura pelo tempo ajustado, para facilitar o fluxo.
no caso dos carregadores e baterias, poderá estar utilizando carregadores e baterias automotivas isto gera uma maior eficiência no sistema.
o temporizador utilizado foi o da IPEC, que é acionado por pulso positivo ou negativo,um dos melhor que já trabalhei.
veja o esquema de ligação;

Continue lendo

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Manual completo, central PPA inversora,triflex híbrida, triflex,

Olá, a muitas duvidas de consumidores com a realização da programação e funções suportadas da central de comando PPA Triflex ou inversora para portões eletrônicos.
atenção: antes de executar a programação na central de comando deve-se ler o manual com atenção,e também identifique a localização e posição dos botões, chaves e leds na central de comando,
programe com paciência e atenção.

podem haver centrais com versões diferentes ex: V1.0 ou V1.1 ou V1.3 e outras.
na maioria dos casos segue-se o padrão de programação.
veja exemplos:













manual central de comando inversora 



obs: para obter todos os recursos oferecidos pela central e um perfeito funcionamento do conjunto,siga o manual com calma e atenção.
        Características
- Sistema eletrônico micro controlado.
- Acionamento por controle remoto (utilizar receptor compatível) ou
qualquer dispositivo que forneça contato NA (ex: botoeira).
- Inversor de frequência bivolt com alimentação AC 127/220V, dotado de
sistema de conversão para aplicação em motores trifásicos.
- Monitoramento dos movimentos do portão através do sistema de
Encoder (Fim de Curso Digital).

Conexões elétricas
 o esquema de ligação no final deste manual.

Função lógica do sistema
Proteção contra sobrecorrente
Existe uma proteção contra sobrecorrente na saída para o motor, com
a finalidade de proteger o equipamento, caso a corrente na saída
ultrapasse o valor permitido.
Para o uso da central ligada a dois motores ou se esta estiver com o
driver de maior potência, talvez seja necessário desligar essa proteção,
a fim de evitar desarmes falsos. Para isso, basta cortar (abrir) o jumper
J22 (4A/8A) localizado próximo à etapa de potência.
Para saber se esta proteção está atuando, deve-se verificar se a central
desliga o motor durante o funcionamento. Quando isso acontecer, o
led OSC pisca rapidamente por 10 segundos e, durante esse tempo, o
motor fica desligado.

Proteção contra curto-circuito
Existe uma proteção contra curto-circuito na saída para o motor, com a
finalidade de proteger o equipamento durante a instalação.
Para o uso da central ligada a dois motores ou se esta estiver com o
driver de maior potência, talvez seja necessário desligar essa proteção,
a fim de evitar desarmes falsos. Para isso, basta cortar (abrir) o Jumper
J23 (1MT/2MT) localizado próximo à etapa de potência.
Para saber se esta proteção está atuando, deve-se verificar se o motor
apresenta dificuldade de movimento durante o funcionamento.  

 É recomendável que este Jumper J23(1MT/2MT)esteja fechado
durante a instalação e durante o primeiro acionamento do
automatizador, a fim de evitar danos ao equipamento elétrico.
Remova-o somente depois de comprovado o funcionamento do motor.

Primeiro acionamento (memorização de percurso)
Após fazer todas as conexões do automatizador na central e na
rede AC, deve-se ligar a energia elétrica e acionar o automatizador
pressionando o botão + na central ou através de qualquer outro
comando externo (controle remoto gravado, botoeira, etc.).
O portão deverá iniciar lentamente um movimento de abertura até
encostar-se ao stop de abertura, iniciando em seguida um movimento
de fechamento até encostar-se ao stop de fechamento. Se o primeiro
movimento for de fechamento, deve-se abrir o jumper F/R e pressionar
novamente o botão + ou enviar qualquer outro comando externo para
a central.
Nota: Sempre, no primeiro acionamento após um corte de energia
elétrica, o automatizador fará primeiramente a calibração do percurso
gravado, voltando em seguida ao seu funcionamento normal. Durante
o fechamento no período de memorização, somente um comando de
fotocélula pode reverter o portão.

Programação dos parâmetros do inversor
A central possui funções que servem para calibrar o automatizador.
No funcionamento normal da central, o led OSC permanece piscando
de 1 em 1 segundo.
Quando uma função é selecionada através da Dip Switch de
programação, o led OSC pisca rápido por um pequeno intervalo de
tempo e depois indica o valor dela:
Valor mínimo: OSC piscando de meio em meio segundo.
Valores intermediários: OSC permanece apagado.
Valor máximo: OSC permanece aceso.
Ao sair da função, o led OSC pisca rápido por um pequeno intervalo
de tempo e depois volta a piscar de 1 em 1 segundo indicando o
funcionamento normal da central.
Atenção! Quando há um comando de receptor, botoeira ou
fotocélula, o led OC permanecerá aceso.
Para a correta programação das funções do automatizador, siga
atentamente os procedimentos a seguir:
                                                                                                  
Apagar o percurso:
Caso necessite memorizar novamente o percurso, pressione e
mantenha pressionado simultaneamente os botões + e – até acender
o led OSC. Em seguida, solte os 2 botões e o percurso estará apagado.
Todas as funções do automatizador são programadas através da
Dip Switch e os valores são ajustados através dos botões + para
aumentar e – para diminuir o valor.

 Veja na tabela abaixo as posições das chaves da Dip Switch para cada função.

 ATENÇÃO! Para sair do modo de programação e voltar ao
funcionamento normal do automatizador, as chaves da Dip
Switch deverão estar todas na posição OFF.

Aplicar os valores de fábrica:
Caso seja necessário resetar toda a programação e voltar aos valores
de fábrica, pressione e mantenha pressionado simultaneamente os
botões + e – até que o led OSC comece a piscar rapidamente. Em
seguida, solte os 2 botões e o percurso estará apagado e os valores de
fábrica estarão carregados novamente.

Sistema de antiesmagamento
O recurso de antiesmagamento permite detectar a presença de
obstáculos no percurso do portão. No ciclo de operação normal, se
detectado um obstáculo, o sistema tomará as seguintes atitudes:
a) No fechamento: o portão será acionado no sentido de abertura.
b) Na abertura: o motor será desligado e espera receber algum
comando para iniciar o fechamento.
No ciclo de memorização, o recurso de antiesmagamento tem apenas
a função de reconhecer os fins de curso de abertura e fechamento,
ou seja, o ponto do percurso onde foi detectado um obstáculo será
interpretado como fim de curso.

Atenção! Devido a alta velocidade do automatizador, é
recomendável a utilização de fotocélulas de forma a evitar
o choque do portão com o automóvel do usuário, caso o
mesmo permaneça nas proximidades do percurso.

Teste do encoder
Para testar o encoder do automatizador, estando o cabo devidamente
conectado na central, verifique se os leds ENCA e ENCB estão
piscando quando o automatizador é movimentado. Cada led
corresponde a um sensor, por exemplo, o led ENCA corresponde ao
sensor A dentro do motorredutor.

Sinalização de eventos e falhas
A função principal do led OSC é indicar que o microcontrolador da
placa está operacional (o mesmo pisca, com frequência fixa [~1Hz],
desde que a alimentação esteja ligada).
O led BUS indica que existe carga nos capacitores do barramento DC.
Atenção! Não se deve tocar na região de potência (região
dos capacitores) da placa enquanto o led BUS estiver aceso
mesmo depois do inversor ser desligado da rede elétrica.
O led FCA aceso sinaliza que o portão se encontra na região de fim de
curso aberto, ou seja, próximo ao "stop" de abertura.
O led FCF aceso sinaliza que o portão se encontra na região de fim de
curso fechado, ou seja, próximo ao "stop" de fechamento.

Possíveis falhas

 Conector da rede AC
A entrada da rede AC da central controladora
deve ser efetuada através dos bornes R e S.
Atenção! O automatizador é alimentado com 127V ou 220V monofásico, a frequência será
conforme a especificada na compra, que poderá ser de 60Hz ou 50Hz.
Conector para fotocélulas e botoeira

ATENÇAO! Antes da conexão dos acessórios (fotocélula, trava
eletromagnética e/ou luz de garagem/sinaleira), é recomendável
efetuar um teste geral de funcionamento da máquina. Para isto,
basta pressionar o botão + para acionar um comando de abertura.

Conector para fotocélulas e botoeira
Conexão das fotocélulas:
Deve-se instalar as fotocélulas posicionadas a uma altura de cerca de
50cm do piso (ou conforme recomendações do fabricante), de modo que o
transmissor e o detector fiquem alinhados um em relação ao outro. A central
reconhece um comando de fotocélula quando o borne FOT for conectado
ao GND, ou seja, um pulso para GND.

Conexão da botoeira:
A central reconhece um comando de botoeira quando o borne BOT for
conectado ao GND, ou seja, um pulso para GND.
Nota: O Controlador Lógico fornece 15 VDC (corrente máxima total de
120 mA) para a alimentação de fotocélulas e receptores E NÃO POSSUI
PROTEÇÃO PARA SOBRECORRENTE. Caso os equipamentos necessitem
de maior tensão ou corrente, será necessário o uso de uma fonte de
alimentação auxiliar.

Conector do receptor (RX)
Basta conectar um receptor avulso neste conector para operar o automatizador com
controle remoto. Para gravar o controle remoto, consulte o manual do receptor.
Conector para luz de garagem (LG) Caso seja feita a opção pelo uso de Luz
de Garagem, deve-se conectar o "Módulo Opcional Relé" neste conector. A operação
da luz de garagem sempre estará habilitada.

Conector para trava
eletromagnética (TRAVA)
Caso seja feita a opção pelo uso da Trava Eletromagnética, deve-se conectar o
"Módulo Opcional Relé" neste conector. A operação da trava eletromagnética sempre
estará habilitada.

Conector do Encoder (ENC)
É utilizado para a conexão, através de um cabo apropriado, entre o motor e a central
controladora. Dentro da caixa de redução do automatizador, há sensores que têm a
função de fornecer informações de: sentido de deslocamento e posição do portão durante a
operação. Tais informações são essenciais para o funcionamento adequado do automatizador.

Conector do motor
O motor deve ser ligado neste conector.

veja imagem do diagrama de ligação;



lembrando-se que algumas funções são configuradas a gosto.




Continue lendo

segunda-feira, 14 de julho de 2014

aulas de montagen e manutenção portao eletronico inverter rotações motor.

Olá neste post vamos falar de como inverter as rotações do kit motor portão eletrônico independente da marca e modelo de kit motor monofásico 110V ou 220V.
lembrando que o motor monofásico possuí 3 fios sendo 1 fio o comum do motor e os outros dois são rotações sentido horário e anti horário,
lembrando que toda vez que inverter as rotações do motor deve-se inverter os finais de curso do kit motor portão.
essa mudança geralmente é feita na central de comando do kit motor,como são varias marcas e modelos e seus fabricantes não seguem um padrão de identificação, os bornes e fios do motor podem conter nomes diferentes de uma marca para outra.

vejamos alguns exemplos de nomes de bornes.
nas marcas PPA e outras varias geralmente são A. P. V. ou Am. Pr. Vm
A. P. V = A,amarelo(comum). P,preto(rotação). V,vermelho(rotação).

na marca garen geralmente são Az.Pt.Br
Az. Pt. Br = Az,azul(comum). Pt,preto(rotação). Br,branco(rotação).

outros modelos podem ser C. Ab. Fc

C. Ab. Fc = C,comum. Ab,abertura. Fc,fechamento.

ou no padrão de motores U. V. W.

U. V. W. = U,comum. V,rotação. W,rotação.

então para inverter as rotações do motor é só trocar a posição dos fios nos bornes da placa,
ex: o fio que esta ligado no F vai para o A e o A vai para o F.


lembrando que toda vez que inverter as rotações do motor deve-se inverter os finais de curso.
finais de curso são sensores que desativam a central ao serem acionados.
na maioria dos casos os sensores são conectados a placa através de conectores.

identifique a conexão do fim de curso na placa.

para inverter os finais de curso basta retirar o conector da central girar 180° e conectar,pronto fim de curso invertido.

quando usar a inversão de rotações?

a inversão de rotações são usadas para casos onde na programação do automático em vez do portão fechar ele abre, problemas na programação da central, e outros problemas...
Continue lendo
Página inicial